17.7.18

Ando imerso de noite
Passo sem obstáculo
Eu sou o obstáculo
Objeto referente
Solidão
Que te busca
Já não as quero em dramas
Romper paranóias
Paradigmas
Suspirar infinito grau

Diego Marcell

12/4/17

29.6.18


Amanhece
Sou outra dose
O vazio perfume da manhã
Que move a cidade logo cedo
Com tantos viventes
Que me são inúteis
Amanhece
Sou dose de passado
O incompleto caso das ninfas
O bang bang pouco ensaiado
Agora é minha saída
Se houvesse desafiante
Amanhece
Vou querer outra dose
Sem café e sem manteiga
Sou o terror dos becos
Uso pistola de brinquedo
Só eu não saio ileso.

Diego Marcell
18/05/18

28.6.18


Eu sou um blues sem encruzilhada
Anja negra te espero em neon
Bebo vermouth
Num piano de calda
Sua calda deliciosa
Na minha bola de sorvete
Estou num vagão
Vago pela noite
Com caneta na mão
Risco a ponte sobre o rio
As cartas que te envio
Sem assinar
Índia sexy em Bauhaus
Cinza tevê fora do ar
Da sua janela meu letreiro
Um poema concreto
Sem mensagem pra decifrar
Estou de partida
O velho destino das antenas no chão
Pra sintonizar sua imagem
E lembrá-la deprimido de solidão
Garota de couro e scarpin
Negra na noite de mercúrio
Como poderei sumir
Sem o alado gosto do seu lábio

Diego Marcell
18/05/18