20.9.17

Ode às Cigarras


Se elas não são rotuláveis
É porque Curitiba tem dessas coisas
Por isso que Leminski amava essas coisas
Pinheiros que mineiros amam

Céu lilás dos andróginos e vampiros
O pixo moldura das ruas finas
O rock ecoando nas ruínas
E as estranhezas que amamos

Na dança olímpica dos desejos
Germinamos certas estéticas
Que em salpicadas auroras heréticas
Por via das dúvidas com certeza amaremos

Diego Marcell
20 de setembro de 2017

17.9.17



Não se deve atacar. Só há duas maneiras boas de ação: o improviso e o contrataque.

Diego Marcell
16/09/2017

16.9.17

Psicanálise e vida performance na filosofia da arte - que deve ser a criação artística também em si? - seria possível fazer um título que fosse uma metareflexão e dizer que é dadaísmo mesmo que o texto não seja?




Analisando minha vida, minhas relações, tentava chegar até minha infância nos períodos traumáticos e não me vi em nenhum momento afetado por bullying por mais que fossem minhas fraquezas, atrasos e campos de possibilidade onde ocorriam de fato, mas, raramente entre os iguais, ou seja, era comum ser realizado por mais velhos/maiores, o que já denotava a inferioridade destes, sendo que eram valentões com pequenos, assim sendo, creio que inconscientemente não me fazia afetar. Vejo que me satisfazia a vida com uma beleza fundamental justamente a criação de acontecimentos interessantes, sendo assim minha inteligência parecia desviada a estas paragens, pois eram os alimentos da vontade; se assim o é de fato, então posso pensar que o artista que se configura hoje, ou melhor, amanhã no pós-arte, é de alguma forma destinado aos interesses de uma natureza, mesmo que agora não seja validado, por qualquer corrupção da mídia/espetáculo. Minha analogia, portanto, vem dessa relação que eu tinha com os eventos que me fizeram até certo ponto destinarem minhas críticas - com relação a uma formação do eu – à família que à sociedade. De alguma maneira eu já era um performer, a matemática não me interessava porque era rígida, sem possibilidades, assim com gradativos níveis cada matéria e professor me desinteressava. Me interessava as piadas, as brigas, os jogos e as transgressões, ou seja, as possibilidades de experiência genuína das relações nestes acontecimentos.

Diego Marcell
16/09/17
/Vida-performance